Translate

Translate

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Escada da vida

No primeiro degrau

celebrá-se o nascimento

e degrau por degrau

avança-se através da soberba

rumo a entulhos acumulados

não examinados

mas experimentados

indistintos

submissos a emoção

mas degrau por degrau

sobe-se lentamente

vaga-se nas dificuldades

pisa-se em momentos

produzindo n'algum alívio

a decisão de sobreviver

de arrancar os olhos dos demônios

atingindo a pureza d'alma

refrescando-se em goteira do pensamento

essência escondida

protegida na parte secreta

desconhecida da fúria predadora

onde há trégua do massacre mundano

e degrau por degrau

ávido de iluminação

permite-se a verdade inteira

resgata-se da natureza humana

desmascarando o medo das trancas

que aprisionou em momentos frios e abandonados

cresceu...

amadureceu através dos golpes de vida

preferiu o silêncio outrora perturbador

mas tornou-se primordial

hoje escutá-se o silêncio em silêncio

explorando a paz que vive dentro

navega-se em mar de sabedoria

o portal vai se fechando para o mundo

e os sentidos ficam caídos por terra

desse mundo falido de razão perdida

o mundo vai se desprendendo

da real importância

fica muito abaixo do ser

distanciá-se o desassossego

aproximá-se a luz

calma e lentamente

sobe-se degrau por degrau







11 comentários:

  1. Calmamente e com a alegria dentro de nós.

    BeijinhoS*

    ResponderExcluir
  2. Valéria,

    Gostei do escrito, desta relação inerente da escada e da vida. Coloca-se os sonhos numa escada e lança-os de possíveis realidades,

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá Valéria; Escada da Vida, sim nossa vida é uma escada que vamos subindo degrau a degrau, colocamos os nossos sonhos numa escada e vamos lança-los para a realidade.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  4. Gosto de pensar que de vez em quando, entre degraus, se encontram pátios de alegria e jardins de felicidade, onde se podem recobrar energias para voltar a subir! Subir sempre, ainda que nem sempre seja fácil. Voltar para trás é que não!!!

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Levantemo-nos de manhã para ir às vinhas, vejamos se florescem as vides, se se aparecem as tenras uvas, se já brotam as romãzeiras; ali te darei os meus amores. Cânticos 7:12


    .....oooO.............
    ....(....)....Oooo....
    .....)../. ...(....)..
    .....(_/.......)../...
    .............. (_/....
    ... PASSEI POR .......
    ..... AQUI e deixei..
    ......... flores......
    .........beijos........

    ResponderExcluir
  6. Oi amor meu, vim pegar um pouco da sua sabedorai e fazer um carinho a vc em meu blog amanha, vai la ver beijos.
    com carinho
    Hana

    ResponderExcluir
  7. Obrigada minha amiga, um bom e alegre fim de semana*

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito da sensibilidade de sua poesia.

    Não sei se ouviu falar da eleição das 7 Maravilhas Naturais de Portugal.
    Elas foram reveladas sábado em gala realizada nas Portas do Mar, Ponta Delgada - Açores.
    Para a eleição, foram contabilizados 656.356 votos (via site, Facebook, SMS e telefonema).
    Também votei via Facebook.

    Havia várias categorias e na categoria
    "Zonas Aquáticas Marinhas" venceu
    Ria Formosa (Algarve)

    Fiz 1 semana de mini-férias, pelo Algarve e fui visitar a Ria Formosa; nos meus 2 blogues mostro fotos e faço uma reportagem sobre o assunto.

    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  9. Valéria, amei este poema.

    Lembro que alguns levaram a escala da vida a ponta da letra e tentaram escalar até o céu construindo uma torre chamada de Babel.

    No fim tudo virou uma confusão e linguas diferentes ouvirão deixando todos na perdição.

    Bjs

    Hubner Braz

    ResponderExcluir
  10. Errata: em vez de ouvirão lee... ouviram!!!

    Thanks

    ResponderExcluir

Venha confiar-me tuas palavras
Deixe-me envolver o teu pensar
Posso até tocar teu coração, mas
A tua presença, será como um abraço na alma.